Brasileiros querem viajar em 2017
Pesquisa aponta que comer bem e aquisição de mercadorias ficam em segundo plano
20 Abril 2017  |  13:16h
A - A +
Data:
Cidade:
Pedro Correia
Os brasileiros continuam mais propensos a gastar em viagens do que com a aquisição de bens materiais. É o que revela a  Momondo, buscador de passagens aéreas e reservas de hotéis, na edição 2017 do estudo International Travel Survey, que analisou os hábitos de viagem de homens e mulheres, entre 18 e 65 anos, no Brasil e em mais 22 países. De acordo com a pesquisa, quando o assunto é empregar "bem" o dinheiro, o turismo é a opção favorita de 31% dos brasileiros. Despesas com comida e bebida, incluindo comer fora, aparecem em segundo lugar com 20% da preferência. Na terceira posição, com 14%, ficam os gastos com a compra de produtos de moda, como roupas, sapatos e acessórios.

No ano passado, o índice de brasileiros que tinham as viagens como melhor forma de gastar dinheiro era de 36%. Outra curiosidade é que a aquisição de eletrônicos (TVs, smartphones, tablets e computadores) ocupava a segunda posição, com 13% da preferência. Este ano, essa opção ficou em quarto lugar, com 10%. "Realizamos a pesquisa globalmente e a cada ano fica mais clara uma tendência mundial sobre a preferência do consumidor pela experiência e não pela posse. Essa mudança de ´categorias´ no Brasil, como por exemplo o menor interesse de compra por eletrônicos e o aumento do gasto em ´comer bem´, é um exemplo local disso", explica Pedro Correia, responsável pela operação da Momondo no Brasil.

PLANEJAMENTO E ECONOMIA
A maioria dos brasileiros (75%) faz um orçamento que considera o total a ser gasto com a viagem, incluindo o valor das passagens, hospedagem e também quanto será gasto durante a viagem. Apenas 5% da população não se preocupa em fazer um planejamento financeiro para viajar. No geral os outros países também seguem esse modelo de planejamento, mas é interessante notar que há locais onde uma parcela considerável da população não se preocupa em se preparar financeiramente. É o caso da Áustria (35%), da Alemanha (33%) e da Noruega (33%).

Para poder bancar as férias, 71% dos brasileiros guardam dinheiro regularmente e 43% ainda utilizam pagamento em parcelas para viabilizar a viagem. O Brasil é disparado o país que mais faz uso das prestações. A Turquia e o Reino Unido aparecem em seguida, com 28% e 18% da população optando pelas parcelas, respectivamente. Apenas 7% dos brasileiros não precisam poupar para conseguir pagar as viagens.

Economizar é uma necessidade. Para tentar baratear a viagem, 40% dos brasileiros têm cortado custos primeiramente com as compras, 36% também procuram passagens aéreas mais baratas e 32% ainda tentam encontrar hospedagens mais em conta.
 
"No Brasil, o cenário econômico vem deixando as pessoas mais cautelosas e apreensivas, mas ainda assim, os brasileiros não querem deixar de viajar. A melhor maneira de fazer isso é pesquisando e procurando opções que caibam no orçamento. As ferramentas online, como os buscadores, têm um papel fundamental nisso, permitindo que os viajantes economizem e viajem mais", conclui Correia.
Fonte:
Tags:
Comentários

As opiniões expressas nos comentários são de única e exclusiva responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião deste site. Comentários ofensivos ou que violem a legislação vigente serão suprimidos.


* seu e-mail não será publicado.

Enviar Comentário