Supermercado digital avança timidamente no Brasil
Ainda classificado como resistente, País deve crescer 6,5% até 2022 no uso do canal
10 Agosto 2018  |  11:25h
A - A +
Data:
Cidade:
Alexandre Carvalho
A compra de alimentos e bebidas em plataformas digitais, o chamado supermercado online, passará por forte crescimento nos próximos anos, indica o estudo Tetra Pak Index. No mundo, o modelo de compra movimenta, atualmente, US$ 44,5 bilhões, com projeção de crescimento de 17,4% até 2022. No Brasil, as vendas pelo canal registram US$ 75 milhões, com participação de 0,2% quando relacionado aos demais canais de compra. Até 2022, a expectativa é que o canal online avance 6,5% no País.

No cenário apresentado, o Brasil é classificado como um país ainda resistente ao supermercado online. Localmente, a compra de alimentos e bebidas ainda está bastante concentrada nos canais tradicionais (pequenos empreendimentos independentes, adegas e mercearias), com participação de 37,3%, e nos canais modernos de comércio (supermercados, hipermercados e lojas de conveniência), com 51,8% de participação atualmente.

"Isso não significa que o supermercado online não irá avançar no Brasil ou que o País seja menos atraente para este modelo de negócio. O que identificamos é a tendência para uma atuação omnichannel, em que varejistas atuando em lojas físicas irão fortalecer a sua presença no ambiente digital, ao mesmo tempo em que marcas com forte presença online irão expandir operações para lojas físicas", explica Alexandre Carvalho, diretor global de serviços de marketing da Tetra Pak.

Nesse cenário, segundo o executivo, os consumidores poderão testar novas experiências e modelos de negócio. Por exemplo, uma possibilidade será a compra de produtos em plataformas online para posterior retirada em lojas físicas, podendo o consumidor escolher a loja mais próxima ou conveniente para ele naquele momento. O modelo tem grande potencial especialmente diante da geração millennium, habituada a intercalar interações em ambos os canais. "Em outras palavras, a fusão do mundo físico com o digital abrirá caminho para aliar praticidade e conveniência à experiência de compra. O consumidor atual está em todo lugar e os varejistas também precisarão estar", diz.

O Tetra Pak Index 2018 destaca ainda as quatro principais tendências que moldam o crescimento na compra de alimentos e bebidas em supermercados online:

- Conveniência: Este é o principal fator impulsionando a aceitação do consumo online, à medida que os consumidores procuram novas maneiras de tornar sua vida mais simples. Entre as principais oportunidades estão o fácil reabastecimento do produto, recursos de voz e a embalagem conveniente.

- Sustentabilidade: A pressão sobre o plástico e a conscientização da economia circular continuarão a crescer, e a reciclagem se tornará cada vez mais importante. Os consumidores querem saber se as marcas estão "agindo corretamente".

- Personalização e exclusividade: Daqui para frente, a customização de produtos e a personalização da jornada do consumidor serão diferenciais. Isso tem acelerado a tendência do direto-ao-consumidor, e cerca de 80% das empresas de bens de consumo embalados globais deverão migrar para esse modelo até 2025.

- Tecnologia e desempenho: Espera-se que até 2025 a entrega super-rápida (em apenas 10 minutos) mudará o comportamento do consumidor no sentido de comprar com maior frequência e em menores quantidades, acrescentando mais complexidade à logística. As cadeias de suprimentos continuarão a ser transformadas por uma série de tecnologias, especialmente a identificação por radiofrequência (RFID) e a robótica, aumentando a eficiência e a transparência dos processos.
Fonte:
Tags:
Comentários

As opiniões expressas nos comentários são de única e exclusiva responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião deste site. Comentários ofensivos ou que violem a legislação vigente serão suprimidos.


* seu e-mail não será publicado.

Enviar Comentário